Culinária Japonesa

Cultura Japonesa e Hábitos Alimentares

Cultura Japonesa e Hábitos Alimentares
Descubra como é possível a influência da cultura japonesa mudar radicalmente os hábitos alimentares de alguém cheio de preconceitos em relação à comida

Atualmente há um sem-número de restaurantes que oferecem algum prato tipicamente japonês em seu cardápio – mesmo algumas churrascarias já se renderam às iguarias orientais, como o sushi. Tida como uma alimentação saudável e um tanto quanto exótica, a comida japonesa caiu no gosto dos brasileiros que na maioria das vezes não tiveram contato prévio com a cultura japonesa. Mas afinal, o que há de tão gostoso em comer peixe cru, arroz grudado ou macarrão cheio de verduras e sem molho de tomate?

Cultura Japonesa e Alimentação

Um dos fatores que define qualquer nação é a alimentação. Os pratos típicos variam de acordo com a localização do país, do clima e das matérias-primas disponíveis na região. Tal divisão ficava mais clara num mundo não tão globalizado, como na ra das grandes navegações, na qual era muito mais difícil se obter, por exemplo, as especiarias da Índia ou o arroz tipicamente japonês.

No Japão as diferenças na alimentação ficam ainda mais claras. Mesmo sendo um país tão pequeno, os pratos típicos de cada um das regiões podem ter diferenças gritantes, como refeições mais adocicadas (Kyoto) ou mais picantes (Tóquio).

Outro fator que chama a atenção é a mudança de pratos em cada uma das estações. Ao contrário de nós brasileiros, que muitas vezes não mudamos nossos hábitos alimentares no verão e no inverno, os japoneses fazem questão de mudar cardápios de restaurantes e produtos à venda nas lojas de conveniência assim que o clima começa a sofrer alterações visíveis.

Ou seja, o momento da refeição no Japão é muito mais ritualístico do que no Brasil, mesmo em tempos modernos de fast food e alimentação cada vez mais precária.

Hábitos Alimentares

Comecei a ter contato direto com a cultura japonesa em 2004, quando passei a frequentar os Matsuris de Curitiba. Sempre fui uma pessoa muito chata com comida, passo mal logo depois de comer vários alimentos, como salgadinhos de pacote e frutos do mar. Além disso, tinha certo preconceito com tudo o que não havia experimentado e dizia que não gostava de muitas coisas. Por isso, joguei fora todas as verduras que comi dos meus primeiros Yakisoba.

De uma maneira natural, a convivência e a curiosidade foram mudando meu paladar e, aos poucos, passei a comer mais verduras e peixes no lugar de massas e carne vermelha. E assim, desde 2009 eu não como carne vermelha – logo eu que não sabia o que era uma refeição sem ter um bife suculento no prato.

A grande reviravolta aqui foi a forma como absorvi a cultura japonesa no meu dia-a-dia, quase que sem perceber. Eu nunca tive em mente a ideia fixa de que precisava mudar a minha alimentação, foi apenas uma questão de adaptação do meu paladar e do meu corpo. Foi a busca pelo novo e a curiosidade em saber como era um peixe cru com shoyu que me fez perceber que mudar não precisa ser repentino e nem insosso.

Sobre o(a) autor(a)

Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

4 comentários

Clique aqui para comentar

  • Um tonkatsu de vez em quando você ainda come?

    Por sinal… comparado com a comida lá do Japão, as do Matsuris e dos restaurantes ficam muito atrás?

  • Olha, como eu comentei, tenho alergia a frutos do mar e qualquer alimento que tenha algum tipo de tempero desses já me faz mal – ou seja, quase todos os pratos japoneses.

    No geral, do que comi, em Tóquio o paladar é bem adocicado, ou seja, todos os alimentos que para nós são apenas temperados com sal, lá eles costumam colocar açúcar também. Eu comia várias vezes um omelete muito bom num izakaya, mas levava um pouco de açúcar, o que pode parecer estranho para algumas pessoas ^^’

    No mais, uma vez que estamos no Brasil, tudo é adaptado para os gostos daqui, inclusive os pratos típicos japoneses que comemos por aqui.

  • Mylle da pra dizer “ittadakimasu” em um restaurante fast food ou ñ sei la…
    pq imagina vc sozinha com seu pratinho e dizer isso ñ é estranho ñ ne?

  • @Dailane,

    Não tem problema nenhum falar itadakimasu sozinho, mas você não precisa falar a palavra, basta falar para si mesmo, dentro da sua cabeça que já vale 😉

Minhas identidades secretas

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Botons Nhom - Presentes Memoráveis