Cultura Pop Japonesa

Davi Zew’s – Viajando da Bahia ao Japão através da música

David Zew's no Brazilian Day Japan
Conheça o trabalho do cantor Davi Zew's e saiba porque ele gravou versões de suas músicas em japonês e foi chamado para participar do Brazilian Day Japão

David Zew's no Brazilian Day Japan

[ad#ad-1]

Após ler a notícia que o jovem cantor Davi Zew’s, 24, iria participar do Brazilian Day Japão 2012, fiquei curiosa para saber por que ele foi escolhido. Pensando rapidamente, ele não é um artista de renome e provavelmente não deve ser conhecido nem pelos japoneses e muito menos pela comunidade de brasileiros que vive no Japão. Assim que vi um vídeo do artista que parte do mistério foi desvendado: ele canta em japonês. Mas afinal, o que o levou a cantar em japonês?

Davi Zew’s: primeiros passos de um artista

Zew’s estava lá dando seus primeiros passos como cantor, gravando suas músicas e vendendo pela internet – nada mais normal atualmente. Certo dia um amigo do artista – professor de português para japoneses no Canadá – usou uma de suas músicas durante a aula e a brincadeira começou: uma das alunas, Ayaka Kawai, gostou tanto da canção que decidiu traduzi-la para o japonês. Zew’s, em retribuição, gravou a versão japonesa, que chegou até uma escola em Osaka através da mãe de Ayaka.

A parceria entre tradutora e cantor rendeu 4 canções com versões em japonês, além de clipes, entrevistas e, finalmente, o convite para o Brazilian Day Japão, um dos mais importantes eventos de cultura brasileira na terra do sol nascente.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=spI2LFWjZOM]

[ad#ad-2-middle]

De cá pra lá; de lá pra cá

A ligação entre o Brasil e o Japão já é antiga e a admiração pela cultura ocorre tanto de um lado quanto de outro. Prova disso é que o maior acervo de MPB do mundo fica no Japão, bem como a maior comunidade japonesa fica no Brasil. Já mencionei um ótimo exemplo da riqueza da troca cultural entre os dois países no texto sobre a cantora mirim Melissa Kuniyoshi, que apareceu em um programa da TV japonesa, além de ter a oportunidade de cantar com a banda japonesa Begin.

Independente se você gostou ou não da versão japonesa das músicas do cantor Zew’s, o fator mais interessante da história é como ele aceitou a ideia de gravar em japonês sem ter nenhum esteriótipo com o qual estamos acostumados. Em outras palavras, parece que apenas nikeis ou fãs de anime e manga se atrevem a cantar em japonês, não acha? A aposta desse artista é, no mínimo, arriscada e inusitada – e é exatamente por isso que está chamando a atenção dos japoneses.

Se você acha que só os brasileiros podem cantar em japonês, saiba que os japoneses podem cantar em português e já fizeram até um grupo de pagode! Conheça o Y-no, o pagode mais japonês da face da terra! Quer dizer, se é que você já não conhece…

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=4XKGfziuw5c]

[ad#ad-1]

Sobre o(a) autor(a)

Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

3 comentários

Clique aqui para comentar

  • Nossaa! O som dele é Bom demais!!
    Também não conhecia o trabalho, mas to apaixonada pelas músicas!! Tomara que ele continue fazendo sempre as 2 versões, né?! O texto ta muito bom Mylle! E concordo principalmente no ponto:

    “o fator mais interessante da história é como ele aceitou a ideia de gravar em japonês sem ter nenhum esteriótipo com o qual estamos acostumados. Em outras palavras, parece que apenas nikeis ou fãs de anime e manga se atrevem a cantar em japonês, não acha?”

    Gostei principalmente por causa disso! Não sou nikkei, muito menos fã de anime, mas sou louca pelo japão e outros segmentos da cultura. Acho que o Davi fez certíssimo e outros artistas deveriam procurar arriscar mais como ele fez aí, ne?
    Sucesso pro Zew’s!

  • @Júlia,

    Eu comecei a gostar da cultura japonesa através dos desenhos mas, apesar de ainda gostar dos desenhos, não me detive só neste aspecto. Eu gosto bastante da troca cultural que acontece, principalmente quando saímos dos esteriótipos comuns, como é o caso do Davi Zew’s.

    Fico muito feliz que alguém tenha lido e comentado nesse texto, já valeu a pena ter postado! 😉

Minhas identidades secretas

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Botons Nhom - Presentes Memoráveis