Haru Matsuri

Haru Matsuri: O que pode?

OrnateDragonLordKatana
DAME!


Devido ao alvoroço na comunidade do Haru Matsuri, decidi fazer um post para esclarecer o que será permitido e o que não será permitido nesse Haru Matsuri. Serão tomadas algumas medidas de segurança já que os roubos, comas alcoólicos, brigas e demais atitudes que atrapalham o bom andamento do festival têm aumentado desde o ano passado. Segue abaixo uma lista bem clara e objetiva do que será permitido e do que não será permitido nesse evento:

  1. Plaquinhas: NÃO PODE. Elas serão comercializadas durante o evento mas não poderão ser usadas. O motivo da proibição são os palavrões e ofensas que muitas vezes são escritas nelas.
  2. Narguile: NÃO PODE. Apesar de normalmente não fazer mal nenhum, a organização quer evitar o uso de entorpecentes através desse cachimbo.
  3. Máscara: NÃO PODE. Como é um evento bastante movimentado e com várias coisas sendo comercializadas, é preferível que os rostos fiquem à mostra a fim de evitar furtos e/ou roubos.
  4. Cosplay e Visuais: PODE. Ao contrário do que alguns comentaram, ninguém pode impedir que você se vista assim ou assado.
  5. Espadas: NÃO PODE. É considerada arma branca, por mais que você argumente que não é afiada nem nada. Também serão comercializadas durante o festival, mas só serão entregues quando o comprador estiver indo embora. (sim, estiver indo embora, essa frase pleonasmo mesmo)
  6. Touquinhas e Acessórios: PODE. Desde que você não esconda o seu rosto…

Vale lembrar que as mochilas dos visitantes serão revistadas e está terminantemente proibida a entrada de bebidas alcoólicas e entorpecentes no evento.

Por outro lado, apesar dos pesares, uma boa notícia: haverá o Espaço Jovem no Haru Matsuri, o qual será coordenado pelo Grupo Akaryuu. Ainda não tenho a programação, mas assim que tiver publicarei aqui no Tadaima.

Acima de tudo, as atitudes da organização visam o RESPEITO entre os frequentadores dos matsuris, atitude que está se perdendo com o passar dos festivais. Vocês podem argumentar o que quiserem, mas ninguém aqui pode negar essa verdade. E bem, se você leu até aqui e pensa em comentar que o seu ponto de vista é totalmente certo e o deles é errado, não perca seu tempo. Não vamos tentar achar certos ou errados aqui, tentemos conviver da melhor maneira possível, só isso. Será que é tão difícil assim?

[ad#post-ad]

Sobre o(a) autor(a)

Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

28 comentários

Clique aqui para comentar

  • bom, parabens, acabaram com quase TODA a tradição do matsuri, meu, to pensando SÉRIAMENTE EM NÃO IR, e todas minhas amigas e amigos que iam, tão falando o mesmo

  • Desde quando cosplay e palco jovem são “tradições” de um matsuri?

    Acho que preciso rever meus conceitos!

  • são coisas que são repitidas ano-a-ano, até se tornarem, umas das principáis atrações, pelomenos para o publico jovem , eu acho

  • Acabar com as plaquinha eu considero excessivamente autoritário. Nunca vi alguém usar plaquinhas para machucar outras pessoas, acredito que só são usadas para se expressar. E liberdade de expressão tá na constituição, é direito inalienável do ser humano.

  • aff axo q katanas tenque proibir msm..
    mas plaquinha???? isso ja axei frescura da parte deles….
    n vou poder usar a minha ¬¬

  • Na minha opinião, estas proibições são necessárias.

    Pegando emprestado as palavras da Mylle, “Acima de tudo, as atitudes da organização visam o RESPEITO entre os frequentadores dos matsuris, atitude que está se perdendo com o passar dos festivais”. E isso é um fato que realmente não se pode negar. Quem frequenta matsuris a mais tempo sabe que isto é verdade.

    Muitas pessoas reclamam das proibições das plaquinhas. Outros muitos argumentam que por causa de meia dúzia, centenas saem prejudicados. Isso, de fato, não deixa de ser verdade. Mas se analizarmos bem, esse tipo de proibição é imposta agora para que justamente essa meia dúzia não continue a utilizá-la de maneira inadequada (palavrões, xingamentos, frases obsenas e muita coisa que já vimos por ai). E é aquela velha história da maçã podre que contamina o cesto. Alguem vai e escreve uma frase ofensiva, pro exemplo. Outro em seguida lê, acha engraçado e escreve também em sua plaquinha, e por ai vai. Não quer dizer que todos façam isso, nem que algum de vocês aqui faz isto. Não estou generalizando. Mas perdi as contas de quantas plaquinhas eu li no último matsuri que fui em que estava escrito “Aula de sexo grátis”.

    Antes de mais nada, precisamos nos lembrar que eventos do porte dos Matsuris são feitos para a familia toda. E com certeza minha vózinha não se sentiria a vontade em um evento em que ela lesse coisas como essa em plaquinhas curculando pelo evento.

    Pensem que se estas regras existem agora, é porque há motivo para elas existrem. Além disso, elas irão garantir que o evento melhore cada vez mais, e não o contrário.

    Para finalizar (eu juro xD), tenho pra mim que estas reras serão temporárias. A medida que as coisas se normalizarem, digamos assim, talvez o evento possa voltar a ter certa liberdade quanto ao uso de plaquinhas, katanas, etc.

    Bem, é isso…

    Até o/

  • Tudo tem seu lado, só de saber que vai ter espaço jovem já me animo de ir…
    queria fazer cosplay do Kurosaki Ichigo, no caso de bankai, só tenho duvidas quanto a… pra apresentação (se tiver) posso usar katana e depois de terminar ela levar pro carro devolta.. ou colocar em um guarda volumes algo do gênero?

    eu compreendo os outros itens tipo, é dificil se alguém colocar uma ofença em uma plaquinha de ser provado, a pessoa apaga e pronto, é a palavra dela contra a de quem viu… realmente por alguns todos pagam o pato, e concordo principalmente pq acho que quem organiza o evento quer deixar o público satisfeito (no minimo), não iam fazer nada pra tipo “nossa… vou ferrar os jovens”.
    Os motivos são bem palpaveis…

  • Pensem que se estas regras existem agora, é porque há motivo para elas existrem. [2]

    Se o povo achava bonitinho escrever coisas consideradas obscenas e improprias para o público (que é LIVRE, de todas as idades) agora vai ver a gracinha que fizeram. Plaquinhas are the best! Mas é pra ser usaa com sabedoria. Escrever coisas engraçadas, pode, mas saiba como fazer.

    Também espero que sejam temporárias essas regras, pra ver se a conduta do publico melhora. Que não tenhan nenhum retardado com faixa de naruto/ touquinha na cabeça gritando palavras de baixo calão e fazendo idiotices, que é por causa dessas criaturas que otakus levam a má fama. Se todos se comportarem direitinho, essas regras aí não seriam necessárias.

    Obs: narguile eh nojento x_x~

  • Jay falou tudo. Pra quem não lembra, até março teve mini matsuri, como o povo não se comportou (a gente precisou separar briga, e quando o fizemos, fomos ‘estraga-prazeres’, bem legal), acabaram com eles. Que tal dessa vez todo mundo se comportar? Lembrem, galera, vai jovem, mas vai MUITA gente tradicional de verdade por lá.
    E no começo, eu ria de boa parte das plaquinhas, respondia as enquetes e tudo, mas de uns tempos pra cá, o que mais dou é corte em plaquinhas ‘se você já deu sua bundinha dê uma risadinha’.

  • Na verdade, ia ser bom a tolerância de todos, daí as pessoas “de bem” não iam ficar chocadas em ver dois homens se beijando.

    Mas discordando de alguns aqui, pra mim, proibição da plaquinha é algo totalmente arbitrário, independente do conteúdo delas, tem coisa ruim? Tem. Mas fazem também as pessoas interagirem, o que nada a nada é bom.

    Parece, eu digo “parece” que a parte jovem não é algo para ser investida simplesmente porque sempre vai ter uma pirralhada para ferrar com tudo. É quase dizendo: Vocês se vestem estranho, são barulhentos, usam plaquinhas para expor suas criancisses, bom, esse evento não é para vocês, como dizer de forma educada para vocês vazarem daqui(mas entrem e comprem ao menos um yakissoba cada)?. O problema maior ainda, é quando uma parcela da parte jovem acha que isso está certo, e que não estão envolvidos nessa.

    Separa de uma vez, chega de segregar aos poucos, evento paralelo ao matsuri seria a melhor solução, daí dava para ter controle da massa podre da não podre.

    Posso não usar cosplay com máscara, não usar plaquinhas e muito menos sair pulando por ai e mendingando comida de pessoas aleatórias, mas sim, eu me sinto atingido com algumas dessas proibições, porque eu sei que são só alguns babaquinhas que estão fazendo pirralhices de verdade.

    Por outro lado, as pessoas que ficaram revoltadinhas, por favor, cresçam, protestem não indo, não pagando o “ARBITRÁRIO” 5 reais. Só não vá ao evento para depois reclamar que não gostou do evento, vejo muita gente reclamar antes, e estar lá.

  • “bom, parabens, acabaram com quase TODA a tradição do matsuri, meu, to pensando SÉRIAMENTE EM NÃO IR, e todas minhas amigas e amigos que iam, tão falando o mesmo”

    Não, parem tudo, chamem todos os organizadores do evento. Ela está pensando SERIAMENTE em não ir, agora me assustei.

    Não gostou, não vai.

    E essa coisa de acabar com a tradição do Matsuri foi engraçada, sério.

  • quem quiser
    alguma coisa comigo não precisa de plakinha meninas
    me procurem
    vou estar com a bandana da aldeia da areia
    na perna blz
    ??

  • quem quiser
    alguma coisa comigo não precisa de plakinha meninas
    me procurem
    vou estar com a bandana da aldeia da areia
    na perna blz
    ??
    pedro vc é estranho =D

  • “Separa de uma vez, chega de segregar aos poucos, evento paralelo ao matsuri seria a melhor solução, daí dava para ter controle da massa podre da não podre.”

    Mas aí é que está. Matsuri não é evento de anime. Não é um evento de cultura pop japonesa, apesar de todo o público jovem. A priori, Matsuri era pra ser um evento tradicional, BEM tradicional. Público jovem tomou conta e pouco a pouco os Matsuris foram perdendo foco, foram deixando de ser o que era e ao que aparenta, isso desagradou os mais tradicionalistas.

    Ao que parece, o que eles querem é exatamente isso.

    De qualquer maneira, eu aprovo todas as regras. Respeito em primeiro lugar. Faz tempo que o público não sabe mais o que é isso.

  • E o mimimi não acaba nunca. A administração ainda não sabe de uma coisa que Noam Chomsky já disse a anos: O Lucro ou as Pessoas. Não dá pra ter os dois.

    Ou você decide se vai ter respeito e vai exigir que visitantes com menos de 18 anos de idade andem com mordaças e amarras, ou você vai ter um evento onde seus visitantes se divertem e gastam dinheiro.

    Sinto muito mas não vou pagar prá ir nessa joça.

  • Concordo com que a Elfa disse logo acima, o Matsuri realmente está perdendo a tradição, frequento os Matsuris a apenas 5 anos (sei que pouco tempo) mas já pude perceber neste pouco tempo que frequento que está mudando e muito o que é uma pena…

    Um evento que é pra se conhecer melhor a cultura japonesa com sua maravilhosa tradição esta sendo mudado por jovens que realmente não sabem respeitar.

    Também concordo com as regras. Como a Elfa disse ” Respeito em primeiro lugar”

  • mah q coisa..
    respeito aos frequentadores do matsuri?
    se n tiver issu..
    quase ninguem vai -.-
    pessoas q vai os 3 dias..
    sao as pessoas q usam plaquinhas, entre outras coisas..

  • Poxa que pena que tenha acontecido tantos problemas nas edições anteriores, agora todos tem que pagar por causa de uns idiotas de merda.

  • Todos os eventos mundiais!!! tem plaquinha
    so porque VCs naum sabem segurar os arruaceiros
    naum significa que todos devem ficar sem
    no ani me disseram que vai poder porque no haru
    naum! nao é atoa que nos temos os piores eventos
    do brasil! ate o acre tem eventos melhores!!!

    fora isso, o resto te de acordo, ja que
    me cortaram com uma espada que naum tinha fio!!

  • Plaquinhas são legais no japão onde o povo segue regras e não fere por fora, só por dentro e irrita pessoas que não tem controle quanto a ofensas. Outra coisa estas regras existem aqui porque estamos no Brasil e aqui pouco se respeita a própria tradição imagina a dos outros. Quem se incomodou com as regras e não gostou, NÃO VÁ, baderneiros não farão falta nenhuma. Parabéns para os organizadores.

Minhas identidades secretas

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Botons Nhom - Presentes Memoráveis