Cultura Pop Japonesa

K-ON! Luz e Som!

Garotinhas bonitinhas + instrumentos=música?
Garotinhas bonitinhas + instrumentos = música?

[ad#ad-1]

Não é raro encontrar mangás e animês sobre músicos em busca de um lugar ao sol, seja lá qual for o seu estilo musical. Alguns exemplos mais recentes (e famosos) são Nodame Cantabile, Beck e Nana – esse último até com mangá sendo publicado no Brasil. K-ON (Keion no original, referindo-se aos kanjis “kei” – luz – e “on” – som) é um dos mais de 40 títulos lançados na nova “safra” de animês de abril de 2009 e como eu particularmente gosto de histórias com músicos nem sempre tão bons, assisti alguns episódios.

No Japão existem as escolas e universidades abrem espaço para a criação de clubes dos mais variados assuntos para que os alunos participem. Yui Hirasawa acaba de chegar ao primeiro ano do ensino médio e mal pode esperar para entrar em algum clube. Depois de alguns dias procurando, finalmente decide ir ao “Light Music” a fim de tocar o único instrumento que conseguia: castanholas.

Enquanto isso Ritsu Tanaka (baterista) é informada de que se não reunir um número mínimo de pessoas o clube será fechado, por isso convence sua amiga Mio Akiyama (baixista) a ajudá-la nessa empreitada. Algum tempo depois aparece Tsumugi Kotobuki (tecladista) junta-se a dupla para se divertir um pouco e só então Yui chega ao clube para tocar guitarra e formar uma banda! O único problema é que ela não sabe tocar guitarra…

De castanholas para guitarras!
De castanholas para guitarras!

Particularmente não tenho nada contra histórias com menininhas bonitinhas fazendo qualquer coisa que aparentemente elas não podem fazer, mas tem gente que só de pensar nisso cria um preconceito enorme em relação ao animê ou mangá. K-ON não é aquela história inesquecível, mas é ótima para dar uma risadas com as fastasias, manias e medos da Yui. É difícil dizer qualquer coisa depois de ver apenas os primeiros episódios, no entanto acredito que o enredo será amêno assim até o final.

O mangá de K-ON foi publicado em 2007 na revista Manga Time Kirara e foi compilado em dois volumes algum tempo depois. É o primeiro trabalho conhecido do artista Kakifly, que também participa da equipe de produção do animê. A história passa no canal TBS e quem tiver interesse pode assistir a alguns episódios pode procurá-los no site Hinata Sou.

[ad#ad-1]

Sobre o(a) autor(a)

Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

Deixe um comentário

Clique aqui para comentar

Minhas identidades secretas

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Botons Nhom - Presentes Memoráveis