Seto Matsuri

Um ano sem Claudio Seto

Imin Matsuri de 2006, Copa do Mundo
Imin Matsuri de 2006, Copa do Mundo

Já faz um ano que Claudio Seto faleceu. Apesar da saudade e da falta que ele nos faz, não estamos sem ele. A prova disso é que nos últimos dias, durante o Tributo a Claudio Seto realizado na Praça do Japão (13, 14 e 15 de novembro) várias pessoas diziam que de alguma forma ele estava lá. Tal fato que para alguns parecia ser isolado, acabou por tomar conta de cada um que estava presente festejando a vida. Entenda vida aqui como algo mais amplo, não apenas como existência no plano material. Rimos e choramos pela vida que perpassa a existência terrena, da vida que é, que nos encanta cada vez mais, que vive em nós mesmos.

Certamente este foi um dos melhores momentos da minha vida e tudo que quero agora é passar o sentimento para frente. O Seto é uma pessoa que faz o mundo acontecer, tão capaz de juntar pessoas e fazer com que todos se tornem amigos. Falo isso tudo no presente porque isso ainda acontece e continuará acontecendo por muito tempo.

Nunca em minha vida eu havia perdido alguém querido, Seto foi o primeiro. Apesar da minha convivência com ele ter sido tão breve, a experiência da perda foi bastante dolorosa, de maneira tal que eu não sabia o que fazer ao certo. Só agora eu sei, e sei tão bem, que ele continua aqui, bem perto, é só uma questão de querer e lembrar.

[ad#post-ad]

Sobre o(a) autor(a)

Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

Deixe um comentário

Clique aqui para comentar

Minhas identidades secretas

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Oficina de Escrita - para escrever mais e melhor
 

Botons Nhom - Presentes Memoráveis